Mais uma noite como todas as anteriores. Pego minha caneca de café cheia, acendo meu ultimo cigarro e corro pra velha janela do quarto. Observo a noite fria e chuvosa, até parece confortável por um momento, se não fossem as dezenas de preocupações que me desmotivam a cada dia.

Penso em você, mesmo sabendo o quão longe está de mim, sinto aquele amor que continua a me desgraçar intensamente a cada dia, e penso quando enfim poderei te ter comigo. Sei lá, o café chega ao fim e trago a ultima ponta, nada muda. É como se eu fosse passar por isso mais uns longos anos a frente.

Cada vez mais tenho a sensação de incertezas e inseguranças e tento me manter firme apesar disso. Algumas coisas parecem dar certo e maioria não, tipo você.

Então após 10 minutos refletindo, largo tudo, fecho a janela e volto pro meu mundo dentro do quarto. Não sei até quando, não sei o porquê, só sei que tá tudo tão errado e quero me livrar disso o quanto antes. E tu não tem nem ideia do quanto, amor meu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.